Alemanha - Esporte

A inclusão no cotidiano com o esporte

A Federação Alemã de Esporte para Pessoas com Deficiência (DBS) é responsável pelo esporte com Pessoas com Deficiência. Ao mesmo tempo, exerce a função de Comitê Paralímpico Nacional.

Objetivo: Proporcionar a todas as Pessoas com Deficiência e com doenças crônicas a possibilidade de participar, de maneira autodeterminada e em pé de igualdade, do esporte de acordo com seus desejos e pressuspostos individuais.

À esquerda, fotomontagem de um homem dando um salto. Ele está destacado do fundo que está com filtro de efeito fotográfico verde. Ele está com as pernas flexionadas e com os braços estendidos. O homem não possui a parte do joelho para baixo da perna direita e usa prótese esportiva. Tem pele clara, cabelos curtos, loiros e lisos. Tem sobrancelhas finas, nariz e rosto triangular. Ele veste camiseta regata vermelha com detalhes em branco, bermuda preta e tênis prata no pé esquerdo. Ao fundo, um grande campo, uma tenda e árvores.
Legenda: Markus Rehm - Campeão paralímpico em Londres, 2012, no salto em distância. Primeiro alemão com deficiência a ser campeão em uma competição para pessoas sem deficiência. (Foto: Ralf Kuckuck, DBS-Akademie)

Aspectos Legais

  • A inclusão pelo esporte não é regida por leis.
  • Convenção da ONU sobre os Direitos da Pessoa com Deficiência: Todas as instituições e organizações públicas têm o compromisso de garantir os direitos humanos fundamentais das Pessoas com Deficiência.
    o   O esporte organizado também assume essa tarefa, que cabe a toda a sociedade.
  • Código Social, Livro IX, artigo 44: Esporte de Reabilitação
  • Código Social VIII: Esporte para Crianças e Adolescentes
    o   Participação de jovens com e sem deficiência no esporte.

Concretização

Fotografia de um homem e uma mulher representados das cochas para cima lado a lado correndo em uma pista de atletismo com uma arquibancada à esquerda. O homem tem corpo atlético, pele clara, cabelos castanhos e curtos. Usa óculos de sol, veste camiseta regata verde fluorescente e short cinza escuro. A mulher tem corpo esguio e atlético, pele negra e cabelos escuros. Veste camiseta regata verde escuro com a barriga a mostra e shorts cinza escuro. Na frente de sua camiseta há uma ficha de papel com a numeração "30".
Legenda: Uma atleta com deficiência visual durante uma corrida. Seu guia a conduz pela pista. (Foto: Ralf Kuckuck, DBS-Akademie)
  • Questão Central: Possibilidade de optar entre a participação em "locais protegidos" ou em clubes esportivos sem referência especial à prática de esporte por parte de Pessoas com Deficiência.
  • Esporte de Lazer
    o   Incentivo ao Esporte de Reabilitação.
    o   Fortalecimento da autoestima e ganho de contato social.
    o   Insígnia Esportiva Alemã para Pessoas com e sem Deficiência - oportunidade concreta para Pessoas com e sem Deficiência praticarem esporte em conjunto.
  • Esporte de Rendimento
    o   Paratletas são apoiados pelo Governo Federal na prática do esporte de rendimento.
    o   Patrocínio individual mensal aos paratletas pela fundação "Assistência Alemã ao Esporte".
    o   Bônus equivalente para atletas olímpicos e paralímpicos.
    o   "Centros Especiais de Treinamento para Modalidades Paralímpicas".
    o   A diversidade de deficiências exige uma divisão em classes no marco de uma classificação específica para cada modalidade.
  • Documento importante: "Index für Inklusion im und durch Sport" (Índice para Inclusão com e pelo Esporte)
    o   Federação Alemã de Esporte para Pessoas com Deficiência (DBS) coordena os trabalhos.
    o   Junção do processo de inclusão com o esporte organizado.

"Depois dos Jogos Paralímpicos de 2012, em Londres, passou-se a falar dos 'social media games'".

Autor: Friedhelm Julius Beucher
Desde 2009, Presidente da Federação Alemã de Esporte para Pessoas com Deficiência.

Brasil - Esporte

O Esporte na Inclusão da Pessoa com Deficiência no Brasil

"É importante referenciarmos os desafios das Pessoas com Deficiência, líderes e protagonistas maiores dessa parte da nossa história".

Aspectos Legais

  • Lei N° 8672/93: Regulamentação do Esporte Brasileiro.
  • Lei N° 10.264/2001 (Lei Agnelo/Piva): 2% da arrecadação bruta de todas as loterias federais do país é repassado ao Comitê Olímpico Brasileiro e ao Comitê Paralímpico Brasileiro.
  • Decreto N° 53.603 de 2008: Plano Bianual de Ação Paradesportivo do Estado de São Paulo.

Concretização

Foto de vista aérea do Centro Nacional de Treinamento Paralímpico. Sua área é retangular e extensa, com uma quadra com pista de corrida à direita e um campo no centro. Atrás desta e à esquerda, galpões cobertos e um prédio redondo. No canto inferior da foto, ao lado das quadras, um estacionamento com vários carros. Ao fundo, mais uma área com prédios e galpões. À esquerda do Centro, uma via com carros e, ao fundo, uma planície com árvores.
Legenda: Centro Nacional de Treinamento Paralímpico, em São Paulo. (Foto: SEDPcD)
  • Iniciativa "Paralímpicos do Futuro".
    o   Paralimpíadas Escolares.
    - Busca de novos talentos.
    - Adoção do paraesporte pelas escolas brasileiras.

"A troca de experiências, conhecimento e a convivência entre jovens estudantes […] trouxeram um ganho imensurável de auto estima, valorização e cidadania".

  • Atividades esportivas são desenvolvidas em conjunto entre a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo e outras secretarias (de Esporte, de Educação e de Lazer por exemplo).
  • Formação profissional continuada de mais de 2000 professores de educação físcia.
    o Garantia da efetiva inclusão de alunos com deficiência nas disciplinas esportivas e eventos esportivos na escola.
  • Projeto "Time São Paulo Paralímpico"
    o Apoio aos principais paratletas brasileiros no treinamento e participação em competições.
    o Importante instrumento de divulgação da importância do movimento paralímpico como indutor de inclusão social.
  • Pela primeira vez em 2004, nas Paralimpíadas de Atenas, uma emissora de TV brasileira cobriu o evento.
    o   Hoje em dia, o trabalho com atletas com deficiência chega com muito mais frequência e facilidade em todas as mídias disponíveis.
  • Educação Física de qualidade nas escolas para melhoria da formação geral dos jovens no desenvolvimento esportivo do país.
  • Aumento no número de pessoas que recorrem ao esporte de reabilitação e consequentemente têm uma melhor reintegração social.
  • Patrocínio de atletas ou equipes ainda é insuficiente, sendo realizado na maioria das vezes por pessoas jurídicas, empresas ou orgãos do governo.
  • Apoio do Governo Federal e do Governo de São Paulo
    o  Bolsa para atletas com deficiência.
    o  Leis de incentivo ao Esporte por meio de dedução fiscal.
Fotografia em uma pista de corrida de uma mulher sentada em uma cadeira de rodas branca com duas rodas próximo ao assento e outra à frente. A mulher não possui os membros inferiores. Ela está voltada para a esquerda com as mãos nos arcos das rodas. Possui pele clara, cabelos amarrados, escuros e longos. Usa um capacete branco, veste blusa azul de manga comprida azul e uma camiseta regata amarela por cima.
Legenda: Atleta disputa prova de corrida em cadeira de rodas durante as paralimpíadas escolares. (Foto: SEDPcD)

Autor: Prof. Vanilton Senatore
Professor de Educação Física, atuante na inclusão de Pessoas com Deficiência pelo esporte desde 1974.