O Movimento Paralímpico e a cooperação internacional para a inclusão de pessoas com deficiência

Os Jogos Paralímpicos são realizados pela primeira vez na América Latina, em 2016.

Esse evento terá um impacto enorme na percepção em relação às Pessoas com Deficiência no Brasil e no continente.

  • Desde os Jogos Paralímpicos de Londres, os feitos dos nossos atletas vêm recebendo mais divulgação da mídia e mais empresas têm se interessado em associar sua marca ao esporte paralímpico.

Alemanha e Brasil desempenham um papel de liderança no esporte paralímpico.

  • A cooperçaão internacional está no DNA do Comitê Paralímpico Internacional.

  • A troca de experiências é destaque a partir de discuções e oportunidades de participação inclusiva de Pessoas com Deficiência.

"Aprendemos com as experiências e buscamos adaptá-las à nossa realidade".

Fotografia: à esquerda, uma menina de perfil voltada para a direita apoiada sobre um suporte branco. Ela está sentada em frente ao suporte e com uma das mãos ela encaixa uma bolinha vermelha. A menina possui pele clara, cabelos castanhos e amarrados em um trança. Veste agasalho branco com detalhes pretos. À frente do suporte, à direita da foto, está uma mulher olhando em sua direção. Ela tem pele branca, cabelos escuros e veste blusa de frio azul-claro. Ao fundo, outras pessoas sentadas em frente a suportes, à esquerda, e muitas pessoas em pé à direita. Algumas seguram câmeras.
Legenda: Garota com paralisia joga Bocha. (Foto: Marcio Rodrigues / CPB / MPIX)

Autor: Andrew Parsons
Presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) e Vice-Presidente do Comitê Paralímpico Internacional (IPC).